quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Por 14 votos a 5, comissão especial recomenda que Dilma seja julgada

Em uma sessão marcada pelo embate entre governistas e oposicionistas, integrantes da Comissão Especial de Impeachment aprovaram, por 14 votos favoráveis e 4 contrários, o relatório do senador Antonio Anastasia (PSDB-MG). O documento recomenda que a presidente afastada, Dilma Rousseff, seja levada a julgamento final. O presidente do colegiado, Raimundo Lira, só votaria em caso de empate.

Na próxima terça-feira, o mesmo relatório será submetido à votação em plenário. Para ser aprovado, é necessário maioria simples, o que significa metade dos presentes mais um. Após aprovacão, os senadores vão votar, com data ainda em aberto, o afastamento definitivo da petista. O mais provável é que a sessão de julgamento tenha início no dia 25 de agosto e se estenda por quatro dias. Neste caso, para afastar a presidente, são necessários 54 votos.

Antes da sessão, o senador Antonio Anastasia disse que estava com “a sensação de dever cumprido.” Ele afirmou que há provas robustas da autoria e materialidade dos crimes de responsabilidade cometidos por Dilma. O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), bateu na tecla de que o Brasil está vivenciando um golpe. O político ressaltou que o relatório não prova que a presidente Dilma tenha cometido crimes de responsabilidade.
Fonte: Correio Braziliense